A busca pelo medicamento no SUS

No dia 3 de agosto de 2017 foi publicada, no Diário Oficial da União, a Portaria no29, incorporando o trastuzumabe para o tratamento do câncer de mama metastático HER2-positivo, por sua vez o Ministério da Saúde teria 180 dias para efetivar a oferta do medicamento no SUS, conforme a seguir:

“PORTARIA No 29, DE 2 DE AGOSTO DE 2017

Torna pública a decisão de incorporar o trastuzumabe para o tratamento do câncer de mama HER2-positivo metastático em primeira linha de tratamento, conforme Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas do Ministério da Saúde, no âmbito do Sis- tema Único de Saúde – SUS.

Hoje, estamos à caminho do sétimo mês que a medicação foi incorporada,porem não é encontrada no SUS, sabemos que seis meses de espera para receber tratamento de qualquer doença avançada é perigoso e irresponsável. Seis meses de espera para receber tratamento contra o câncer de mama metastático HER2 positivo pode ser fatal.

O IMAMA e a FEMAMA continuam na luta pela vida de homens e mulheres, a incorporação o trastuzumabe foi uma vitória, porém agora acompanharemos de perto para ver a efetividade da inserção da terapia em todo o País. Nosso trabalho só termina quando todas as pacientes tiverem acesso a mais tempo e qualidade de vida.

 

Conheça a história de Marcia Cristina, paciente que necessita da medicação que foi incorporada no Sistema Unico de Saúde, mas que não está sendo distribuida:

https://www.sul21.com.br/ultimas-noticias/geral/2018/02/um-dia-de-cada-vez-a-espera-pelo-medicamento-que-pode-prolongar-a-vida-das-pacientes-de-cancer-de-mama/

 

O que nos move é o amor pela vida.

 



Voltar