Câncer de Mama

O que é câncer de mama?

  O câncer de mama é o crescimento descontrolado de células da mama que adquiriram características anormais. Essas irregularidades podem se desenvolver, principalmente, nas unidades ductais e/ou lobulares  (canais e glândulas que auxiliam no processo de produção e condução de leite) e são causadas por uma ou mais mutações no material genético da célula.

  Vale ressaltar que o câncer de mama não é igual entre as pessoas que são afetadas pela patologia.  Cada paciente sofre influências divergentes e portanto recebem tratamentos diferentes, de acordo com as necessidades observadas por um médico mastologista. 

    Segundo centros de pesquisa e organizações voltadas para o estudo e mensuração de casos de câncer de mama, no mundo esse é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres em 83% de 185 países que compuseram estudos realizados em 2018 pela Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC).

   No Brasil, o câncer de mama também é o principal tipo de câncer que mais afeta a população feminina. A incidência ocupa as taxas mais altas em quase todas as regiões do país, exceto no norte.  A partir da faixa etária acima de 40 anos, os casos são mais comuns. 

TIPOS DE CÂNCER DE MAMA

O câncer de mama, além de ser classificado em diversos tipos, com características e graus de gravidade diferentes, deve sempre ser estadiado, isto é, passar por uma avaliação que identifique sua extensão e disseminação.

  • Localizada (precoce).
  • Localmente avançada (tumor grande e com gânglios comprometidos).
  • Metastática (espalhada para outros órgãos).

PRIMEIROS ALERTAS E CUIDADOS

     Prevenção e mamografia (essa última é indicada anualmente após os 40 anos de idade).

     Alimentação saudável.

     Realizar autopalpação das mamas e observar qualquer modificação aparente na região das mamas.

     A presença de pequenos nódulos na região embaixo do braço, axilas e no pescoço.

     Qualquer sintoma desconfortável e notável sobre pequenas alterações mamárias.

 É vital que as mulheres conheçam o seu corpo e estejam atentas para qualquer  mudança que possa representar anormalidade e comprometimento na saúde das mamas. Dessa forma, é possível mais chances para a realização do diagnóstico precoce, fator que aumenta consideravelmente as chances de cura da doença.

 Fontes:

Instituto Nacional do Câncer (INCA)

 Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (FEMAMA). 

Incidência em 100 mil habitantes

0 %
de cura se detectado na fase inicial
0
Incidêndia no RS
0
Incidêndia em Porto Alegre
0
Incidêndia no Brasil
0 %
Casos Avançados

Indíce de mortalidade INCA

0 %
das mortes por câncer em mulheres são de mama
0
ano de 2017
0
ano de 2018

MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O CÂNCER DE MAMA